Especialista revelou a “única teoria que faz sentido” no caso Madeleine McCann!

Quando Madeleine McCann desapareceu da casa de férias da família há mais de 10 anos, na Praia da Luz em Portugal, ela tinha apenas três anos de idade.

Quando as notícias falaram que a polícia britânica recebeu mais de 100.000 euros para estender os outros seis meses, o especialista em crime, Pat Brown ficou consternado.

“Madeleine está morta”, disse Brown a news.com.au. “Não vale a pena gastar todo esse dinheiro, pois nada que eles fazem vai tornar a criança viva”.

A própria teoria de Brown é que a evidência do caso de Madeleine não apoia um sequestro. Em vez disso, ela diz: “a evidência apoia a teoria de um acidente que ocorre por negligência e possível medicação”.

O mistério de seu desaparecimento e suspeita de abdução abalou o mundo. Embora tenha custado ao Ministério do Interior britânico quase 10€ milhões, e lhes custará dezenas de milhares mais, se os pais não abandonarem a busca pela sua filha.

Uma reivindicação semelhante foi feita pelo ex-detetive Gonçalo Amaral no seu controverso livro intitulado The Truth of the Lie. Nele, ele afirmou que Maddie havia “morrido e seu sequestro era um “encobrimento””.

Os pais de Madeleine, Kate e Gerry McCann perderam o apelo no Supremo Tribunal de Portugal em relação a suas alegações, mas eles também apresentaram uma queixa contra essa decisão.

À medida que a polícia fala de um “indivíduo-chave” que alegadamente estava na mesma área de Portugal quando Maddie desapareceu, pode ser o “último lance dos dados” na caçada à menina desaparecida.